guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Farmacologia

Veneno contra protozoários

CARLOS JARED/INSTITUTO BUTANTANSapo-cururu: esteróides eliminam parasita da leshmanioseCARLOS JARED/INSTITUTO BUTANTAN

Em suas andanças pela Caatinga o biólogo Carlos Jared, do Instituto Butantan, já encontrou sapos que sobreviveram três anos enterrados no leito seco de rios. Com base no que conhece da biologia desses animais e dos parasitas que podem atacá-los em ambiente úmido, Jared suspeitou que a pele dos anfíbios deveria produzir potentes antimicrobianos. Com André Tempone, do Instituto Adolfo Lutz em São Paulo, Jared isolou da secreção de glândulas da pele do sapo-cururu (Rhinella jimi) dois esteróides: a telocinobufagina e a helebrigenina. Em testes em laboratório, ambos mataram a Leishmania chagasi, parasita causador da leishmaniose visceral, que atinge 2 milhões de pessoas no mundo. A helebrigenina eliminou o Trypanosoma cruzi, causador do mal de Chagas. Os esteróides não danificaram células de mamíferos, segundo artigo publicado na Toxicon. “Estamos estudando a possibilidade de síntese dessas moléculas, para fazer ensaios em animais infectados com os parasitas”, diz Tempone, que tenta desenvolver fármacos contra doenças negligenciadas.

Republicar