Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Ambiente

As causas da seca extrema do Pantanal

Vista aérea da rodovia Transpantaneira no município de Poconé, em Mato Grosso, em 25 de setembro de 2020

Buda Mendes / Getty Images

Entre 2019 e 2020, o Pantanal enfrentou a pior seca registrada nos últimos 50 anos. Pesquisadores do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) identificaram as principais causas meteorológicas do fenômeno e descreveram o seu impacto na redução dos níveis do rio Paraguai, o maior da região (Frontiers in Water, 23 de fevereiro). “A falta de chuvas durante os verões de 2019 e 2020 no Pantanal está relacionada com a redução do transporte de ar quente e úmido do verão da Amazônia para a região”, disse Carlos Marengo, coordenador do Cemaden, à Agência FAPESP. O surgimento de uma zona de alta pressão sobre o Centro-Oeste brasileiro teria impedido a chegada de umidade vinda da Amazônia e aumentado as temperaturas do verão pantaneiro. A estiagem prolongada elevou o risco de incêndios causados por descontrole de queimadas para a abertura de pastos para a pecuária.

Republicar