guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

História

As primeiras viagens pelo Pacífico

Arquipélago das ilhas Marquesas, no Pacífico Sul, local de contato entre ancestrais de polinésios e nativos das Américas

Sybil Sassoon / Robert Harding Premium /AFP

Os primeiros ocupantes da Polinésia, no centro-sul do Pacífico, tiveram contato com povos nativos das Américas há pouco mais de 800 anos, cerca de cinco séculos antes da chegada de navegadores europeus às ilhas da região. A conclusão resulta de um estudo que comparou as características genéticas de 807 indivíduos de 17 ilhas da Polinésia com as de 15 etnias nativas americanas habitantes da costa do Pacífico. Coordenado pelo geneticista Andrés Moreno-Estrada, do Laboratório Nacional de Genômica para a Biodiversidade, no México, o trabalho identificou uma pequena quantidade de material genético nativo americano no DNA de habitantes das ilhas Marquesas, Palliser, Mangareva e Rapa Nui (Ilha de Páscoa). As sequências genéticas oriundas das Américas que os polinésios guardam eram pequenas e quase idênticas, semelhantes às do povo Zenu, do norte da Colômbia (Nature, 8 de julho). À revista Science, Moreno-Estrada afirmou que elas indicam que teria havido um único contato dos primeiros polinésios com os nativos americanos por volta do ano 1150, quando essa região do Pacífico começou a ser povoada. Não se sabe se os ancestrais dos atuais polinésios, já na chegada, encontraram um grupo estabelecido de indivíduos vindos das Américas ou se teriam navegado até a costa da América do Sul e depois retornado. Segundo o estudo atual, o contato teria ocorrido nas ilhas Marquesas, e não em Rapa Nui, mais próxima das Américas, como se pensava antes.

Republicar