guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Biologia

As razões da longevidade feminina

Cervos machos se enfrentam no Parque Nacional Banff, no Canadá

Jakub Fryš / Wikimedia Commons

Uma farta documentação científica atesta que, entre os seres humanos, as mulheres vivem, em média, mais do que os homens. Será que o mesmo ocorre com os outros mamíferos? Para responder a essa pergunta, o biólogo evolutivo Jean-François Lemaître, da Universidade de Lyon, na França, e colaboradores decidiram analisar dados demográficos de 134 populações de 101 espécies de animais. Resultado: em cerca de 60% das populações estudadas, as fêmeas eram mais longevas do que os machos. Em média, elas viviam 18,6% mais tempo do que eles, mais até do que na população humana – a vida das mulheres costuma durar 8% mais tempo que a dos homens (PNAS, 23 de março). A diferença na longevidade entre os dois sexos, observaram os pesquisadores, não se deve a taxas distintas de envelhecimento. O que muda é a taxa de mortalidade ao longo da vida: a proporção de machos que morre é maior em todas as idades. Fatores ambientais e custos envolvidos na seleção sexual explicam boa parte dos casos. Os machos produzem mais hormônios masculinos, que podem alterar o sistema de defesa a ponto de deixá-lo mais suscetível a patógenos, e também caçam e disputam parceiras sexuais com mais frequência.

Republish