Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Neurociência

Cérebro mais focado

Ilustra TecnoDaniel BuenoA capacidade do cérebro de ignorar distrações e se concentrar em tarefas específicas pode estar associada ao funcionamento orquestrado de circuitos neurais de uma região chamada tálamo. Pesquisadores das universidades Stanford e de Nova York, ambas nos Estados Unidos, verificaram que os neurônios do córtex pré-frontal ajustam a sensibilidade do cérebro a estímulos sensoriais, enviando sinais que inibem e ativam neurônios do tálamo.  No estudo, camundongos foram treinados para usar estímulos sonoros e visuais como pistas  que os levariam a uma porta atrás da qual  havia uma recompensa.  Os pesquisadores observaram que, quando os camundongos se concentravam na luz para escolher a porta certa, os neurônios do tálamo inibidores dos sinais visuais eram menos ativos. Quando atentavam ao som e ignoravam a luz, os neurônios do tálamo associados à visão eram mais ativos, suprimindo os sinais visuais, fazendo o cérebro focar no som (Nature, 21 de outubro).  Os resultados sugerem que o tálamo funcionaria como uma central de controle, administrando a quantidade de informações que o cérebro recebe, filtrando estímulos sensoriais  nos quais ele deve ou não se concentrar.

Republicar