guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

História

Em três meses, 1,5 milhão de judeus mortos

Autor desconhecido Judeus embarcam rumo a Treblinka, durante a Operação Reinhard, em 1942Autor desconhecido

No período mais sangrento do Holocausto, a Alemanha nazista orquestrou um massacre que eliminou 1,5 milhão de judeus em três meses. De agosto a outubro de 1942, auge da chamada Operação Reinhard, 500 mil judeus foram levados por mês para os campos de concentração da Polônia ocupada e, neles, eliminados. A média foi de 15 mil mortes por dia (Science Advances, 2 de janeiro). O biomatemático Lewi Stone, da Universidade de Tel Aviv, em Israel, chegou a esses números dramáticos ao analisar um amplo conjunto de dados sobre o transporte ferroviário organizado pelos nazistas para levar indivíduos de 400 comunidades judaicas para três dos principais campos de extermínio da Polônia: Treblinka, Belzec e Sobibor. Os relatórios apresentavam informações sobre datas, número aproximado de vítimas transportadas e para qual campo seriam levadas. O número de judeus mortos naqueles três meses de 1942 equivale a um quarto dos 5,8 milhões exterminados na Segunda Guerra Mundial (1939-1945). A decisão de pôr em curso a eliminação em massa ocorreu em janeiro de 1942 na Conferência de Wannsee, em Berlim, coordenada por Reinhard Heydrich, líder do grupo paramilitar SS e chefe da Gestapo, a polícia secreta de Hitler, quando se optou pela chamada solução final para a questão judaica nos países ocupados pela Alemanha. A reunião é considerada o ponto de partida para a eliminação sistemática dos judeus nas câmaras de gás dos campos de extermínio. Ao longo de 1942, cerca de 1,7 milhão de judeus foram mortos no plano criado por Heinrich Himmler (1900-1945), chefe da SS.

Republicar