guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

O êxodo mexicano

Cinco mil pesquisadores do México deixam o país a cada ano em busca de trabalho, de acordo com um estudo divulgado por Heriberta Castaño Lomnitz, do Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade Nacional Autônoma. Segundo o trabalho, atualmente 200 mil pesquisadores mexicanos estão trabalhando em países como Estados Unidos, Canadá, França, Argentina, Chile e Espanha. O êxodo atinge principalmente os formados em instituições públicas, que, segundo Heriberta, têm menos chances do que os oriundos de instituições privadas na disputa por vagas em empresas. “Muitos empresários não empregam egressos das universidades públicas com o argumento de que são encrenqueiros e fomentam conflitos”, disse a pesquisadora ao jornal El Siglo de Torreón.

Republicar