Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Medicina

Uma mandíbula a partir de células de gordura

Digital Zoo / Getty Images

A mandíbula é um dos ossos mais complexos do corpo humano e um dos mais difíceis de substituir. Em formato de “L”, ela se encaixa ao crânio, formando uma articulação revestida por cartilagem – a chamada articulação temporomandibular, ou ATM. É esse conjunto de osso e articulação que permite abrir e fechar a boca para mastigar, falar e bocejar. Doenças congênitas ou acidentes, no entanto, podem comprometer o seu funcionamento e exigir a substituição por uma prótese. O grupo da engenheira biomédica Gordana Vunjak-Novakovic, da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, espera mudar isso em alguns anos. Os pesquisadores conseguiram regenerar o osso e a cartilagem da ATM de porcos usando células-tronco obtidas da gordura dos próprios animais, cuja mandíbula se assemelha à humana. Por meio de uma cirurgia, eles extraíram a mandíbula dos suínos e, depois, enxertaram células-tronco na região. Parte dessas células havia sido programada para se transformar em osso e a outra parte em cartilagem. Poucos dias mais tarde, os animais já conseguiam se alimentar normalmente, movimentando a mandíbula como se nada tivesse acontecido (Science Translational Medicine, 14 de outubro). O exame minucioso da mandíbula dos animais realizado seis meses depois mostrou que a estrutura era indistinguível da original. O grupo espera testar em breve a nova estratégia em ensaios clínicos com voluntários com defeitos congênitos na ATM.

Republicar