Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Arqueologia

Uma cidade de 3 mil anos no Vale dos Reis

Trabalhadores no sítio arqueológico de Aten, cidade da era do faraó Amenófis III

Khaled Desouki /   AFP /   Getty Images

Arqueólogos e o governo egípcio anunciaram no início de abril a descoberta de uma cidade com mais de 3 mil anos de idade, a maior do Egito Antigo já desenterrada. Seus sinais começaram a surgir em setembro de 2020, durante escavações em uma área próxima a Luxor, a 500 quilômetros ao sul do Cairo, a capital do país, entre os templos mortuários dos reis Ramsés III e Amenófis III. A equipe do arqueólogo egípcio Zahi Hawass, ex-secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, buscava vestígios do templo mortuário de Tutancamon, nunca identificado, e acabou desenterrando uma cidade inteira, composta por três distritos, com ruas e edificações com paredes intactas, algumas de até 3 metros de altura. A cidade foi identificada como sendo Aten, fundada no reinado de Amenófis III (1391 a.C.-1353 a.C.), durante o Império Novo, período em que o domínio dos monarcas egípcios alcançou o seu auge. Aten possivelmente foi um dos principais centros administrativos e de produção do império, sendo habitada até o reinado de Tuntancamon (1332 a.C.-1 323 a.C). Entre os achados na cidade estão uma padaria, com fornos e vasos de armazenamento intactos, além de um grupo de tumbas de pedra ainda lacradas, semelhantes às do Vale dos Reis.

Republicar