Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

História

Uma forma de desdobrar o passado

Sequência gerada por computador de abertura da carta do século XVII

Unlocking History Research Group

Usando um scanner de microtomografia por raios X, construído para pesquisas odontológicas, uma equipe internacional conseguiu ler o conteúdo de uma carta da Renascença sem que fosse aberta. Para evitar tentativas de violação, antes da invenção dos envelopes nos anos 1830, as correspondências na Europa costumavam ser dobradas e seladas de maneiras complicadas e únicas, conhecidas apenas pelo remetente e pelo destinatário. Jana Dambrogio, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, e Amanda Ghassei, do Instituto de Pesquisa Adobe, ambos nos Estados Unidos, analisaram as imagens obtidas pelo scanner para reconstituir por computador o padrão de dobragem do papel de uma carta de um acervo de 577 correspondências do século XVII, armazenadas em um posto dos correios em Haia, nos Países Baixos (Nature Communications, 2 de março). Assim, sem danificar o artefato, elas decifraram a mensagem do comerciante francês Jacques Sennacques a seu sobrinho, Pierre Le Pers, pedindo o certificado de óbito de um parente.

Republicar