Imprimir Republicar

Reconhecimento

Carlos Fioravanti, jornalista de Pesquisa FAPESP, ganha prêmio José Reis

Distinção concedida pelo CNPq é a mais importante oferecida aos profissionais que cobrem a área de ciência e tecnologia

Fioravanti no Kew Gardens, em Londres, durante o programa de estudos na Universidade de Oxford, em 2007

Francisco de Assis Costa

Carlos Henrique Fioravanti, editor especial de Pesquisa FAPESP, foi o ganhador do 40° Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica, edição 2020, na categoria Jornalista em Ciência e Tecnologia, promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O José Reis, a mais importante premiação oferecida aos profissionais que cobrem ciência e tecnologia, é atribuído pelo conjunto da obra em sistema de rodízio anualmente a uma das três categorias: Jornalista em Ciência e Tecnologia, Instituição e Veículo de Comunicação, e Pesquisador e Escritor. Nesta edição, concorreram 25 jornalistas de todo o país.

Fioravanti escreve sobre ciência, ambiente e tecnologia desde 1985. Nesse tempo, produziu mais de mil reportagens para jornais (Diário Comércio & Indústria, O Estado de S.Paulo, Gazeta Mercantil e Valor Econômico) e revistas nacionais (Química e Derivados, IstoÉ, Revista Brasileira de Tecnologia, Globo Ciência, Ciência Hoje, Nova Escola e, desde 1999, Pesquisa FAPESP) e internacionais (Nature Medicine e The Lancet).

É autor de três livros: A molécula mágica – A luta de cientistas brasileiros por um medicamento contra o câncer (2016), O combate à febre amarela no estado de São Paulo — História, desafios e inovações (2018) e A guerra contra o câncer no Brasil — Médicos e cientistas em busca de novos tratamentos (2019).

Fioravanti fez a graduação em comunicação social na Universidade de São Paulo (1983), especialização pelo Reuters Institute for the Study of Journalism da Universidade de Oxford, Inglaterra (2007), e doutorado em política científica e tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas (2010). Escreveu cinco artigos acadêmicos sobre jornalismo científico, publicados em 2010, 2013, 2014, 2016 e 2018.

Com reportagens publicadas em Pesquisa FAPESP, ele recebeu cinco vezes o Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica (2003, 2004-coautor, 2006, 2008 e 2014), o Stop TB Partnership Award for Excellence in Reporting on Tuberculosis (2009), o Prêmio de Jornalismo Medtronic 2014, o I Premio de Periodismo Científico del Mercosul (2018) e o Prêmio Jornalista Tropical (2018).

 

Republicar