NOTÍCIAS

Print Friendly

Resultado das Olimpíadas USP de Inovação

MARCOS DE OLIVEIRA | Edição Online 17:25 28 de novembro de 2011

 

Vencedores com suas medalhas durante a premiação

Tornar visível para o público externo os projetos realizados dentro da Universidade de São Paulo foi um dos objetivos da 2ª Olimpíada USP de Inovação recém-finalizada. “O nosso objetivo foi motivar a cultura de inovação e empreendedorismo na universidade, principalmente entre os alunos que precisam estar alertas para transformar o conhecimento em empresas e em inovação”, diz o professor Vanderlei Salvador Bagnato, coordenador da Agência USP de Inovação. Um exemplo de empresa que saiu da universidade é a Oralls, produtora de um dentifrício e de outros produtos para a saúde bucal infantil que possui como sócio o ex-aluno de doutorado da Faculdade de Odontologia de Bauru, da USP, Fabiano Vilhena. Ele e a professora Marília Buzalaf ganharam o primeiro lugar na área de saúde da Olimpíada USP da Inovação de 2008 (leia Pesquisa FAPESP nº 156).

A nova edição da competição começou em março deste ano com 641 projetos inscritos e terminou com a premiação dos vencedores em 17 de novembro. Numa primeira etapa foram selecionados 46 projetos e na segunda, 19, dos quais saíram os quatro campeões nas seguintes áreas: Tecnologias Exatas, da Terra e Engenharias; Tecnologias da Saúde e Biológicas; Tecnologias Agrárias e Tecnologias Sociais Aplicadas e Humanas. Promovida pela Agência USP de Inovação, a competição teve o apoio de empresas como 3M, Dow AgroSciences, Natura, Kraft Foods, Bayer, Heliar, além de associações como a Interfarma e a Biominas Brasil.

Os vencedores foram os seguintes:

Tecnologias Exatas, da Terra e Engenharias
1° Colocado – Medalha de ouro
Projeto: Biossensor condutométrico sem contato em microchips: uma alternativa potencial para a determinação de biomarcadores tumorais
Equipe: Renato Lima, Wendell Coltro, Claudimir do Lago e Emanuel Carrilho, do Grupo de Bioanalítica, Microfabricação e Separações (BioMicS) do Instituto de Química de São Carlos

2° Colocado – Medalha de prata
Projeto: Identificação de madeiras por meio de um nariz eletrônico polimérico
Equipe: Juliana Ribeiro Cordeiro e Jonas Gruber, do Laboratório de Síntese de Polímeros Condutores do Instituto de Química

3° Colocado – Medalha de bronze
Projeto: Projeto Bio Carbon Black
Equipe: Leonardo Willians Glidiz, do Centro Avançado de P&D em Nanobiotecnologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto

Tecnologias da Saúde e Biológicas
1° Colocado – Medalha de ouro
Projeto: Aparelho expansor ortopédico maxilar diferencial
Equipe: Rita de Cássia Moura Carvalho Lauris e Daniela Gamba Garib Carreira, do Laboratório de Ortodontia do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.

2° Colocado – Medalha de prata
Projeto: Acetona exalada como novo biomarcador do diagnóstico e do prognóstico em curto prazo da insuficiência cardíaca
Equipe: Fabiana Marcondes Braga, Fernando Bacal, Guilherme Batista e Ivano Gutz, do Laboratório de Insuficiência Cardíaca do Instituto do Coração.

3° Colocado – Medalha de bronze
Projeto: Inibição de metaloproteinases da matriz como nova estratégia para prevenção de erosão dentinária.
Equipe: Melissa Thiemi Kato, Ana Carolina Magalhães, Aline Leite e Marília Buzalaf , do Laboratório de Bioquímica da Faculdade de Odontologia de Bauru

Tecnologias Agrárias
1° Colocado – Medalha de ouro
Projeto: Marcador genético aplicado à produção avícola
Equipe: Andrezza Maria Felício, Aline Silva Mello Cesar, Gustavo Gasparin e Luiz Lehmann Coutinho, Laboratório de Biotecnologia Animal da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”.

2° Colocado – Medalha de prata
Projeto: Equipamento para amostragem de pragas em tempo real
Equipe: André Signoretti, Aline Kamiya, Renata Morelli e José Maurício Bento, Laboratório de Ecologia Química e Comportamento de Insetos do INCT – Semioquímicos na Agricultura

3° Colocado – Medalha de bronze
Projeto: Mistura para bolos sem adição de ovos”
Equipe: Fausto Makishi, Cynthia Ditchfield, Giovana Nicoletti, Ana Gabas, do Laboratório de Processos de Engenharia de Alimentos da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos.

Tecnologias Sociais Aplicadas e Humanas
1° Colocado – Medalha de ouro
Projeto: Arquigrafia
Equipe: Artur Rozestraten, Marco Gerosa, Maria Laura Martinez, Fabio Kon, do Núcleo de Pesquisa em Ambientes Colaborativos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Instituto Militar de Engenharia, Escola de Comunicações e Artes e Instituto de Matemática e Estatística

2° Colocado – Medalha de prata
Projeto: ExProsodia
Equipe: Waldemar Ferreira Netto, Marcus Vinícius M. Martins e Daniel Oliveira Peres, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

3° Colocado – Medalha de bronze
Projeto: Modelo de Informações Ambientais
Equipe: Maisa de Souza Ribeiro, Silvio Hiroshi Nakao e Amaury Rezende, do Laboratório de estudos socioambientais da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto


Matérias relacionadas

AMBIENTE
Estratégias para monitorar as áreas arborizadas das cidades
PESQUISA EMPRESARIAL
Saint-Gobain foca em ciência dos materiais e física das construções
TELECOMUNICAÇÕES
Balões ajudam a levar internet a pontos remotos do planeta