Imprimir PDF

História

O ateísmo de Fritz Müller

Universidade de Greifswald Pedido de dispensa de prestar juramento a Deus enviado por Müller à universidade alemãUniversidade de Greifswald

Em 1848, o naturalista Fritz Müller (1821-1897) apresentou um requerimento à Universidade de Greifswald, na Alemanha, onde terminava a graduação em medicina. Queria ser dispensado de prestar juramento a Deus, compromisso obrigatório na cerimônia de formatura. A universidade recusou a solicitação e Müller desistiu do diploma, mesmo tendo concluído o curso. Esse manuscrito e outros cinco documentos referentes ao posicionamento de distintas instâncias da faculdade sobre a solicitação de Müller foram identificados no início deste ano pela historiadora Ana Maria L. Moraes, do Instituto Histórico de Blumenau, em Santa Catarina, durante uma pesquisa realizada nos arquivos da instituição alemã. Segundo Ana Maria, que estuda a vida do naturalista desde 2010, a negativa da universidade foi decisiva para a vinda de Müller para o Brasil, em 1852. Em Santa Catarina, viveu em Florianópolis e Blumenau, cidade em que morreu e onde seu corpo está enterrado. “A história de que ele havia se recusado a fazer o juramento a Deus era conhecida, porém a fonte primária da informação não havia sido encontrada”, conta. Na avaliação de Ana Maria, a descoberta abrirá novas possibilidades para estudos sobre as circunstâncias em que o médico se declarou ateu, bem como as consequências de seu ato. “A obra científica de Müller é bastante conhecida, mas existem aspectos de sua vida que ainda merecem ser estudados de forma aprofundada.”