Imprimir PDF

Ekó House

O teste da Ekó House

Imagem: ekó houseDesenho da casa solar brasileira: 47 metros quadrados movidos pela luz da estrelaImagem: ekó house

Uma moradia de 47 metros quadrados que funciona exclusivamente com o auxílio de painéis fotovoltaicos capazes de converter a luz solar em energia elétrica foi  projetada por pesquisadores brasileiros para participar do Solar Decathlon Europe 2012, competição internacional que reunirá em setembro 20 equipes internacionais em Madri, na Espanha. Denominada Ekó House (na língua tupi-guarani ekó significa maneira de viver), a casa brasileira é composta por cozinha, salas, banheiro, quarto e varanda. Estudantes e professores de diversas áreas, como arquitetura e urbanismo, engenharias civil, mecânica, elétrica, sanitária e ambiental, fazem parte do Team Brasil, que reúne os envolvidos na iniciativa. Um protótipo da casa está em fase de montagem no Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo (USP), que gerencia o projeto em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Iniciado em 2010, o desenvolvimento do protótipo faz parte de um convênio entre a USP e a Eletrobrás, coordenado pelo professor Adnei Melges de Andrade. “O projeto busca desenvolver tecnologias que resultem em menor impacto ambiental”, diz Andrade. No Solar Decathlon, as propostas são avaliadas por meio de 10 provas que representam diferentes áreas, como arquitetura, engenharia, eficiência energética, conforto, comunicação, inovação e sustentabilidade (ver mais sobre o assunto na edição 167 de Pesquisa FAPESP). As equipes participantes desenvolvem suas casas durante os 20 meses que antecedem a competição. Cerca de 150 plantas são produzidas, com detalhes da construção e dos sistemas usados nas residências.