CARTAS

Print Friendly

Cartas | 247

ED. 247 | SETEMBRO 2016

 

Anibal Faúndes
Parabéns pela entrevista com Anibal Faúndes (edição 245). Que personalidade! Em uma cultura na qual o machismo ainda predomina, este homem de 85 anos reconhece publicamente o quanto uma mulher – sua primeira esposa, a socióloga Ellen Hardy – mudou seu ponto de vista sobre as próprias mulheres, influenciando profundamente o direcionamento de sua carreira. Que tenhamos outros “Anibals” na nossa comunidade científica.

Fátima Nunes
EACH-USP
São Paulo, SP

***

Carro híbrido
Com respeito à reportagem “Apresentado protótipo de carro movido a etanol e a célula a combustível”, publicada no site de Pesquisa FAPESP em 5 de agosto, achei muito curioso, para não dizer negativo, que a montadora Nissan seja referenciada no parágrafo introdutório apenas como “uma fabricante japonesa de veículos”. O nome Nissan só aparece no quinto parágrafo da reportagem, obviamente de modo proposital. Veículos que procuram respeitar o ambiente, como os elétricos ou híbridos, não recebem incentivos dos governos federal e estadual. O que se viu na reportagem é uma atitude que parece algo envergonhada em apoiar uma pesquisa em que a iniciativa privada está presente.

Antonio Mario Magalhães
IAG/USP
São Paulo, SP

***

Xylella
Precisamos cobrar investimentos em ciência, tecnologia e inovação. Como no caso do sequenciamento da bactéria Xylella fastidiosa, os resultados levam tempo para aparecer, mas vale a pena (“Ousadia recompensada”, edição 246).

Claudia Lage
Via facebook

***

Vídeos
O vídeo com Guido Carlos Levi, sobre vacinação, mostra como as últimas duas gerações, mimadas pelos confortos que a medicina trouxe, estão, ironicamente, sendo as mais empenhadas em tirar dos próprios filhos a segurança que tiveram.

Caetano Julio Neto
Via facebook

***

Fui uma das proprietárias de um berçário classe “AA” e pude constatar o que Guido Carlos Levi diz no vídeo sobre vacinas. Havia um grande número de mães “naturebas” que não vacinavam seus filhos, mas que brigavam para que a alimentação que servíamos fosse estritamente orgânica.

Maria Amelia Nogueira
Via facebook

***

Acho que a melhor forma como a história do acidente do rio Doce já foi contada está no vídeo “Open science: O futuro da ciência e o desastre de Mariana”. Parabéns a toda a equipe pelo trabalho.

Dante Pavan
Via facebook

***

Correções
Na tabela “A divisão dos orçamentos”, que consta da reportagem “Os impactos do investimento” (edição 246), o subtítulo correto é “Desembolso da FAPESP por objetivo de fomento, em 2015, em R$ mil”, e não milhões como foi publicado.

Veja abaixo a versão correta da tabela.

CAPA_020_Impactos_Info_NOVO

***

Diferentemente do que afirmamos na nota “O supertelescópio chinês” (edição 246), o radiotelescópio Fast não será o maior do mundo. O maior é o Ratan-600, com um espelho de 576 metros de diâ-metro, em funcionamento na Rússia.

***

Cartas para esta revista devem ser enviadas para o e-mail cartas@fapesp.br ou para a rua Joaquim Antunes, 727, 10º andar – CEP 05415-012, Pinheiros, São Paulo-SP. As cartas poderão ser resumidas por motivo de espaço e clareza.

 


Matérias relacionadas

AMBIENTE
Mata Atlântica volta a crescer no Vale do Paraíba
ASTRONOMIA
Colisão de estrelas de nêutrons inaugura nova era na astronomia
RUI SEABRA FERREIRA JÚNIOR
Brasil se destaca em número de publicações científicas de acesso aberto