NOTAS

Print Friendly

Exageros na cobertura de ciência

ED. 252 | FEVEREIRO 2017

 

A principal fonte dos exageros e das advertências ou ponderações que aparecem na cobertura jornalística da área de ciência e saúde é o próprio material de divulgação para a imprensa preparado pelas revistas científicas a respeito dos papers que publicam. A conclusão é de um levantamento feito por uma equipe das escolas de psicologia e jornalismo da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, que analisou o conteúdo de 534 press releases produzidos em 2011 por periódicos, como Science, Nature e Lancet, e de 582 reportagens publicadas pela imprensa britânica de alcance nacional (PLOS ONE, 15 de dezembro). No entanto, segundo os autores da análise, os exageros no material de divulgação não aumentaram a cobertura da imprensa, assim como a inclusão de ponderações não diminuiu o interesse jornalístico pelos estudos.


Matérias relacionadas

PERIÓDICOS
Para obter mais citações, revistas brasileiras aumentam rigor
INFORMAÇÃO DIGITAL
Biblioteca do Congresso dos EUA revê política de arquivamento
BOAS PRÁTICAS
Renúncia no conselho editorial