NOTAS

Print Friendly

Exageros na cobertura de ciência

ED. 252 | FEVEREIRO 2017

 

A principal fonte dos exageros e das advertências ou ponderações que aparecem na cobertura jornalística da área de ciência e saúde é o próprio material de divulgação para a imprensa preparado pelas revistas científicas a respeito dos papers que publicam. A conclusão é de um levantamento feito por uma equipe das escolas de psicologia e jornalismo da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, que analisou o conteúdo de 534 press releases produzidos em 2011 por periódicos, como Science, Nature e Lancet, e de 582 reportagens publicadas pela imprensa britânica de alcance nacional (PLOS ONE, 15 de dezembro). No entanto, segundo os autores da análise, os exageros no material de divulgação não aumentaram a cobertura da imprensa, assim como a inclusão de ponderações não diminuiu o interesse jornalístico pelos estudos.


Matérias relacionadas

EDUARDO BONINO
Novo satélite levará sinal de internet a regiões distantes do país
PESQUISA BRASIL
Soluções microscópicas, Instituto Biológico e novo satélite de...
TELECOMUNICAÇÕES
Balões ajudam a levar internet a pontos remotos do planeta