NOTAS

Print Friendly

Presidente francês nomeia cientistas para ministérios ligados à pesquisa

ED. 256 | JUNHO 2017

 

A bioquímica Frédérique Vidal (esq.) é a nova ministra da Educação Superior, Pesquisa e Inovação da França, e a hematologista Agnès Buzyn comanda a pasta da Saúde

O novo presidente francês, Emmanuel Macron, e seu primeiro-ministro, Édouard Philippe, convocaram nomes da ciência e das universidades para o comando de ministérios. A bioquímica Frédérique Vidal, de 53 anos, foi escalada para a pasta da Educação Superior, Pesquisa e Inovação, recriada após ter se fundido em 2014 ao Ministério da Educação Nacional. Especialista em genética reprodutiva, Vidal leva para o governo a experiência de quem presidiu nos últimos cinco anos a Universidade de Nice Sophia Antipolis. Outro nome que vem da academia é o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, de 52 anos. Com formação em direito, filosofia e ciência política, era o presidente da École Supérieure des Sciences Économiques et Commerciales, uma das mais influentes escolas de pós-graduação em negócios da França. Entre 2009 e 2012, foi o responsável pela divisão do ensino secundário do ministério. A médica e pesquisadora em hematologia Agnès Buzyn, 54 anos, foi nomeada para o Ministério da Saúde e da Solidariedade. Ela já havia comandado instituições públicas como o Instituto Nacional do Câncer e a Alta Autoridade em Saúde da França. Entre 2002 e 2006, liderou um grupo de pesquisa em imunologia do câncer do Instituto Nacional de Saúde e de Pesquisa Médica (Inserm). Como Buzyn é casada com o atual diretor do Inserm, Yves Lévy, os assuntos ligados ao instituto serão tratados diretamente pelo premiê Édouard Philippe, para evitar conflito de interesses.


Matérias relacionadas

IGEM
Brasileiros ganham medalhas em competição de bioengenharia
PESQUISA BRASIL
Células-tronco, Indústria 4.0, Nobel da Paz e química verde
RITA BARRADAS BARATA
Capes faz avaliação dos cursos de pós-graduação brasileiros