CARTAS

Print Friendly

Cartas | 257

ED. 257 | JULHO 2017

 

Ciência sem Fronteiras
Pena que para várias pessoas o programa Ciência sem Fronteiras foi quase turismo no exterior (“Experiência encerrada”, edição 256). E quem fez disciplinas no exterior muitas vezes não conseguia aproveitá-las aqui.

Renan Birck Pinheiro

***

Um programa desastroso. Mal planejado, com enorme desperdício de recursos que poderiam ter sido mais bem investidos trazendo retorno ao país.

Carlos Riede

***

O que tem de ser questionado é: quais tecnologias e avanços científicos esse programa trouxe para o nosso país?

Thiago Figueredo

***

Mais de R$ 13 bilhões gastos… O valor é um tanto exagerado para um país que possui universidades sucateadas e laboratórios e obras inacabadas. Querem internacionalizar a ciência brasileira, mas mal nos dão condições para ensinar ou desenvolver pesquisas por aqui. Ainda bem que acabou. E acabou tarde.

Giovani Guarienti Pozzebon

***

Readaptá-lo. Torná-lo mais enxuto. A iniciativa é excelente. É pensar à frente e não no passado.

Aloir Antonio Merlo

***

A reportagem é tendenciosa. Só o fato de chamar “investimento em educação” de “gasto” me parece enviesado.

Luciano Skiter Delmondes

***

Árvores
Até que enfim uma maneira inteligente de gerenciar as árvores da cidade (“Controle da paisagem”, edição 256).

Alexandre Tokitaka

***

Inventário de espécies
Na Cidade Universitária, na capital paulista, já avistei araras, araçaris, araponga (raríssimo ver uma), pica-paus amarelos, sabiás (têm muitos), gralhas, papagaios, periquitos, colibris e beija-flores de várias espécies (sobre “Na selva de pedra”, edição 255). É uma pena que as pessoas passem por ali sempre correndo.

Joviniano Netto

***

Vídeos
Maravilhoso o vídeo “Famelab”. Deveriam existir mais iniciativas e incentivos para divulgação da ciência no Brasil.

Alessandra Alves de Souza Della Coletta

***

Mais uma função importante da endocrinologia (vídeo “Menino ou menina”), com uma excelente elucidação sobre os distúrbios do desenvolvimento sexual fornecida pela professora Berenice Bilharinho de Mendonça.

Olivia Bomfim

***

Sinto falta de mais vídeos no canal de Pesquisa FAPESP.

Mateus Menezes

***

Sua opinião é bem-vinda. As mensagens poderão ser resumidas por motivo de espaço e clareza. cartas@fapesp.br


Matérias relacionadas

CARREIRAS
Cientista cognitivo André Souza hoje trabalha com novas tecnologias nos EUA
CARREIRAS
Saber coordenar grupos de pesquisa cria uma agenda de trabalho sustentável
RESENHA
Vida caipira | Pedro Ribeiro | Edusp | 152 páginas | R$ 59,90