Genética

Os 10 genes mais estudados

Uma das tarefas da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos (NML) é classificar os artigos científicos da base de dados PubMed. Desde os anos 1980, a NML tem catalogado papers que trazem informações sobre a estrutura, a função e a localização de um gene. O bioinformata Peter Kerpedjiev, pós-doutorando que faz uma especialização na visualização de dados genômicos da Escola Médica da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, extraiu as informações desse levantamento sistemático e produziu, em parceria com o site da revista Nature, uma lista dos genes humanos mais estudados no período. Dos cerca de 20 mil genes humanos que carregam instruções para a produção de proteínas, apenas 100 são descritos em mais de um quarto dos artigos científicos catalogados. Entre os 10 mais estudados, que aparecem em mais de 40 mil papers, destacam-se genes que apresentam alguma associação com o câncer ou com o sistema imunológico. O gene TP53, que produz um fator de supressão tumoral, foi citado em quase 8.500 artigos e lidera o ranking (ver quadro). “A lista foi surpreendente”, disse Kerpedjie à Nature.“A presença de alguns genes era prevista; a de outros foi inesperada.”